Meditações

AS PALAVRAS SÃO REVELADORAS

AS PALAVRAS SÃO REVELADORAS

 

“A boca do insensato é a sua própria destruição, e os seus lábios, um laço para a sua alma” (Provérbios 18:7).

 

O grande filósofo grego do século IV a.C. Aristóteles disse com propriedade que “o homem prudente não diz tudo quanto pensa, mas pensa tudo quanto diz”. Um ditado popular também aponta para a sabedoria de pensar antes de falar: “boca fechada não entra mosquito”. No texto sagrado acima há mais verdades sobre a importância das palavras que saem da nossa boca. Vejamos:

Primeira, o que sai da nossa boca revela muito quem somos. Foi o próprio Jesus quem disse que “a boca fala do que está cheio o coração”. As palavras são reveladoras. Pelas palavras podemos definir o nível de insensatez de alguém.

Segunda, o que falamos pode nos destruir. O texto diz: “A boca do insensato é a sua própria destruição”. Muitos têm trazido destruição para si e para outros pelo que falaram e falam. A boca do insensato é uma bomba destruidora.  

Terceira, o que falamos pode aprisionar nossa alma. Novamente o texto diz: “os seus lábios, um laço para a sua alma”. Muita destruição tem sido causada pela boca, mas a extensão das palavras chega à alma. Problemas emocionais, psicológicos e até espirituais têm sido causados pela língua.

Pelas palavras que falamos ou ouvimos de alguém podemos inferir se foram proferidas pelo insensato ou prudente. O insensato não pensa antes de falar, mas o prudente, o responsável “pensa tudo quanto diz”.

 

ORAÇÃO: Querido Deus, ajuda-me a pensar antes de falar. Que as minhas palavras expressem meu nível de responsabilidade com o que falo. 

Athos no Facebook

Athos & Meditações

O que dizem sobre nós

Só uma escola com uma excelente estrutura, pode oferecer o melhor para nossos filhos, estrutura essa, tanto em suas instalações, quanto acadêmica e espiritual. Ricardo Luis

"Eu gostei de aprender de forma prática sobre os paralelos e meridianos. Eu gostei de fazer a bola com a minha mãe, usando barbante, cola de isopor e alfinetes".  Ana Cecília - 6º ano A

«
»